Blog

Aqui você encontrará  dicas, notícias, tendências,
inovações de tecidos e estampas.



14/10/2015

Moda é o setor que mais reaproveita as embalagens PET


 
 
As chances da garrafa PET que consumimos regularmente ser reinserida na cadeia produtiva são maiores a cada ano. Mais alta ainda é a possibilidade de que uma garrafinha de água mineral que você usou hoje seja parte de uma camiseta, calça, ou mesmo um calçado dentro de alguns meses.
 
Uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira da Indústria do PET (Abipet) revelou que entre agosto de 2011 e junho de 2013, a quantidade de embalagens PET recicladas saltou de 282 mil para 331 mil toneladas, um aumento de 17%. De acordo com o Censo da Reciclagem de PET no Brasil, seis de cada 10 embalagens PET que consumimos no país são recicladas.
 
Nesse contexto, a moda é o setor que mais utiliza o resultado da reciclagem, incorporando 38% de tudo que um dia já foi usado em sua rotina produtiva. Isso significa que, de cada seis embalagens recicladas, 2,4 foram parar no vestuário de alguém. Hoje, 59% de todas as embalagens PET produzidas no Brasil retornam para a indústria. Além da moda, outro setor que também aproveita o material é o de fábricas de resinas insaturadas e de fundição e areia, com a fatia de 23,9%. Apenas 18,3% volta a ser embalagens.
 
O uso de PET reciclado na produção de roupas começou com os informes de trabalhadores. Hoje, porém, o tecido já ganhou as passarelas. O estilista Alexandre Herchcovitch, por exemplo, desfilou uma coleção ecológica nas passarelas do São Paulo Fashion Week 2012 para a EcoSimple, fábrica de roupas de Americanas (SP). Outras marcas famosas também aproveitam a fibra produzida pela reciclagem, como a Hering, Osklen, Brookfield e Mizuno.
 
 
Garrafas por metro
 
Não à toa a indústria têxtil aderiu a este tipo de fibra. Duas garrafas de dois litros de PET reciclado podem produzir uma camiseta e quatro embalagens são suficientes para fazer uma calça comprida, informou a site Vida &Água, publicação oficial da indústria de produção de água mineral. A quantidade de embalagens por metro vai determinar a resistência da roupa.
 
Algumas indústrias optam pela mistura de uma material mais convencional, como algodão, com o poliéster de PET. A EcoSimple mistura retalhos de tecidos coletados em fábricas com a lã de poliéster feita do plástico reciclado. Para cada metro, a fábrica de Americanas usa 480 gramas de pano e oito garrafas. Só em 2012, foram produzidos 3,6 milhões de metros de tecido.
 
Ideal para pijamas e moda íntima, o PET reciclado está chegando ao universo masculino. A D’Uomo, uma das maiores fabricantes de cuecas brasileiras, está lançando um modelo feito com este material.
 


Fonte: ecodesenvolvimento.org/posts/2013/junho/moda-e-a-que-mais-reaproveita-as-embalagens-pet


Escrito por: Redação EcoD, em 14/10/2015


06/10/2015

Saiba como são fabricados tecidos sustentáveis premium


 
Aumento de demanda impulsiona produção de tecidos eco-friendly de alta qualidade e 100% responsável.
 
Pioneira na fabricação de tecidos 100% sustentáveis, a EcoSimple, de Americana/SP, dedica-se desde 2004 exclusivamente à fabricação de tecidos eco-friendly. Reconhecidos no segmento do vestuário e com demanda cada vez maior no mercado nacional, os tecidos sustentáveis já registram grande aceitação nas áreas de acessórios, calçados e decoração, além de beneficiar diversos setores. “Temos um processo inovador, que faz da EcoSimple uma empresa de vanguarda, pois desenvolve um sistema totalmente diferenciado de produção sustentável”, explica o diretor da empresa, Cláudio Rocha.
 
A EcoSimple inicia seu processo produtivo com a coleta e separação de resíduos (sobras e aparas) descartados por indústrias têxteis da região de Brusque/SC, um dos principais polos brasileiros de produção de malhas. “Esta etapa é realizada por cooperativas, que entregam à empresa os resíduos separados por cor. A separação é fundamental para a sustentabilidade do processo, pois a pigmentação já existente nas aparas se mantém e dá cor aos novos fios que serão produzidos”, explica. “A medida também evita o uso de novos produtos químicos para dar cor aos tecidos, e reduz drasticamente o uso de água na produção”.
 
São diversas opções de cores e padronagens, listrados e xadrezes para o setor calçadista, moda e decoração. “O grande diferencial da EcoSimple é sua autonomia. A empresa possui todas as etapas fabris e não terceiriza nenhum processo, podendo atender com maior agilidade os mais diferentes segmentos do mercado”, afirma Rocha. Atualmente, os tecidos da EcoSimple são utilizados por algumas das melhores e mais conscientes marcas do Brasil e do exterior.
 
Já na tecelagem, os resíduos têxteis são transformados em novos tecidos por meio dos processos de moagem e desmanche, limpeza e transformação, fiação e tecimento. Nesta etapa, fios oriundos da reciclagem de PET também são aplicados na produção, junto com os fios de algodão reciclado. “Cada metro de tecido EcoSimple produzido elimina 480 gramas de resíduo têxtil, oito garrafas pet do meio ambiente, além de economizar cerca de 5 mil litros de água”, ressalta o diretor. “Desta forma, a EcoSimple promove a conscientização sobre a necessidade de se investir em materiais desenvolvidos em sintonia com a visão de sustentabilidade e respeito com o planeta”, finaliza.


Fonte: casatearmagazine.com.br/saiba-como-sao-fabricados-tecidos-sustentaveis-premium/


Escrito por: , em 06/10/2015


17/09/2015

EcoSimple cresce com busca do mercado por tecidos ecofriendly


 
Marcas de vanguarda estão de olho nas novidades recicladas. Empresa já atende diversas marcas, entre elas, Herchcovitch;Alexandre, Lacoste, Coca-Cola Shoes, Sierra Móveis, Levi´s e Osklen.

Marcas renomadas já se deram conta de que moda tem tudo a ver com sustentabilidade. Para confirmar essa tendência, o diretor da EcoSimple, Claudio Rocha, afirma que a empresa apresentou um crescimento considerável desde o ano passado. Nos primeiros seis meses de 2012, o faturamento já aumentou 35% em relação ao segundo semestre de 2011. E a previsão é continuar neste ritmo acelerado.
 
A demanda por esse tipo de produto tem aumentado muito rapidamente, informa Rocha. “Tanto as grifes conhecidas quanto as que estão despontando no mercado estão em busca de alternativas sustentáveis para suas criações. A EcoSimple tem investido cada vez mais nesse sentido, sendo, considerada pioneira em disponibilizar um produto reciclado premium, de alta qualidade e com design diferenciado no segmento têxtil”, revela. 
 
PARCERIAS - Uma mostra de que aliar design e tecidos ecológicos dá certo foi apresentada pelo estilista Alexandre Herchcovitch nos seus últimos desfiles. A coleção masculina dele contou com peças de alfaiataria, chapéus e bolsas com os materiais 100% recicláveis da tecelagem paulista. A parceria já não é de hoje, mas as novidades são desenvolvidas especialmente para as marcas, que escolhem a cartela de cores, padronagens e texturas. 
 
Na lista de parceiros, constam também Lacoste, Coca-Cola Shoes, Sierra Móveis, Levi´s e Osklen, entre outros. “Este nicho de mercado tem se ampliado pela conscientização dos estilistas, das empresas e também dos consumidores, que buscam moda, mas se preocupam com aquilo que consomem”, reforça o Diretor..  
 
COMO SÃO PRODUZIDOS? – Os tecidos da EcoSimple são produzidos através da coleta de sobras e aparas de tecidos descartadas pela indústria têxtil. Para se transformar em novos tecidos, os resíduos são separados por cor e passam por processos como reciclagem, fiação e tecimento, agregando resíduos de pet também reciclados. Para diminuir ainda mais o impacto ambiental, a empresa desenvolveu um processo inovador em que as tonalidades naturais dos resíduos têxteis são aproveitadas, evitando, assim, o uso de corantes e agentes químicos no processo. Cada metro de tecido produzido elimina 480 gramas de resíduo têxtil e oito garrafas pet do meio ambiente.
 


Fonte: textileindustry.ning.com/profiles/blogs/ecosimple-cresce-com-busca-do-mercado-por-tecidos-ecofriendly


Escrito por: , em 17/09/2015


09/09/2015

Tecidos Sustentáveis - EcoSimple


O Quarto de Hóspedes assinado pela arquiteta Maira Del Nero para o Campinas Decor 2015, foi desenvolvido dentro do conceito da Sustentabilidade. A preocupação ambiental foi especialmente aliada ao design e funcionalidade do ambiente, revelando novas tecnologias e tendências do mercado atual.
 
Uma das novidades deste projeto é o uso de tecidos sustentáveis da marca Ecosimple.
 
Os tecidos com diferentes tramas foram utilizados de diversas maneiras no ambiente: no sofá, colcha, travesseiros, almofadas, cortinas e tapetes e deram personalidade ao ambiente unindo conforto, beleza e respeito à natureza.
 
A Ecosimple utiliza fios oriundos da reciclagem de PET e fios de algodão reciclado proveniente de resíduos têxteis. Cada metro de tecido Ecosimple produzido elimina 480 gramas de resíduo têxtil e oito garrafas pet do meio ambiente.
 
 
Dica: As diferentes tramas dos tecidos sustentáveis criam inúmeras possibilidades para a decoração e podem substituir os linhos, sarjas, sedas, gazes etc.


Fonte: mairadelneroarquitetura.com.br/tecidos-sustentaveis


Escrito por: By Maira Del Nero, em 09/09/2015


31/08/2015

Opções de Tecidos Sustentáveis para usar na decoração


 
É possível pensar em sustentabilidade também na hora de escolher os tecidos para todos os móveis estofados, como sofás, poltronas, cabeceiras de cama e cortinas. Existem várias empresas no mercado que trabalham com tecidos com  matéria prima reciclada ou feita com tecidos reaproveitados.
 
A Ecosimple coleta sobras de tecido de grandes indústrias têxteis e garrafas PET e, junto a pequenas cooperativas, desenvolve um trabalho cujo produto final é de alta qualidade e com grande responsabilidade social e ambiental. Estas pequenas cooperativas separam estas sobras de tecido por cor e, a partir daí, começa o processo.
 
Por já estarem separados por cor, não é necessária a adição de qualquer espécie de tinta ou corante. As tonalidades desejadas são obtidas através das cores originais dos tecidos, aproveitando a coloração natural das fibras e suas diversas nuances. Desse processo livre de agressões, nasce o novo tecido.
 


Fonte: universojatoba.com.br/bem-estar/sua-casa/confira-algumas-opcoes-de-tecidos-sustentaveis-para-usar-na-decoracao


Escrito por: , em 31/08/2015


27/08/2015

Grandes grifes aderem à moda sustentável


 
A indústria têxtil está entre as quatro que mais consomem recursos naturais, como água e combustíveis fósseis, de acordo com o Environmental Protection Agency (órgão americano que monitora a emissão de poluentes no mundo). Somente o algodão é responsável por cerca de 30% da utilização de pesticidas na terra. Para se ter uma ideia dos danos causados ao meio ambiente, apenas na produção de uma camiseta de 250 gramas de algodão, na china por exemplo, são usados em media 160 gramas de agrotóxicos. Os quais contaminam os solos e rios, causando danos às vidas dos seres marinhos e às famílias que consomem seus alimentos.
 
Por isso pensar sustentavelmente tem sido a proposta social veiculada nesses últimos anos pela mídia. O termo sustentável requer uma série de fatores a serem analisados numa cadeia de produção. Ser sustentável é pensar em criar maneiras de aproveitamento/reutilização de produtos para minimizar os danos causados ao meio ambiente por meio da cadeia produtiva.
 
Assim, o conceito de moda sustentável (também chamada de ecológica) leva em conta todos os recursos usados na produção de um tecido/roupa, como: a matéria-prima, a quantidade de água, a mão de obra, o transporte do que foi produzido, enfim todo o processo. Para os defensores da moda sustentável, não adianta usar tecidos feitos a partir de um processo de reciclagem, mas gastar muito combustível no transporte desses produtos até o local de venda. Portanto, a moda sustentável propõe que toda a cadeia produtiva de uma roupa seja feita conscientemente.
 
Atualmente marcas conceituadas como a grife brasileira Osklen e a mundial Stella McCartney já fazem uso da moda ecológica. Porém são produções que nem sempre estão ao alcance de todos os bolsos. Para estimular o interesse popular por tal tipo de moda, a Hanesbrands, dona da marca Zorba no Brasil, em parceria com a rede varejista Wal-Mart e a Embrapa estão produzindo roupas sustentáveis a preços populares. São camisetas, calcinhas, cuecas e bodies para bebês confeccionados com algodão cru ou orgânico, além de outras fibras, como o bambu.
 
Para entender o processo de fabricação de um tecido reciclável, conversamos com José Israel do Nascimento, gerente comercial da Ecosimple, empresa produtora de tecidos 100% recicláveis que fornecem material para grifes famosas. Um exemplo disso, foi a divulgação da nova coleção sustentável de Alexandre Herchcovith no último São Paulo Fashion Week, em junho deste ano. As peças usadas no desfile foram produzidas com tecidos da Ecosimple.
 
A Ecosimple utiliza restos de tecidos como matéria-prima em sua produção. Para isso ela conta com a parceria de cooperativas de trabalho, que recebem os fardos dos restos de tecidos com cores misturadas e fazem a separação das tiras por cor e devolvem a Ecosimple. Na empresa têxtil, as tiras passam por um processo que “rasgam” os tecidos até se transformarem em fios, estes são misturados com a pluma e PET (feita a base de garrafas PET). Assim é elaborado o fio Ecosimple com a mistura das duas fibras que se transformam no tecido reciclável.
 
O conceito de reciclagem ainda não é algo valorizado em todas as regiões do país segundo José Israel, por isso a Ecosimple procura fazer palestras e workshops sobre sustentabilidade. Para ele, no momento, não há vantagens em produzir tecidos recicláveis e sim paixão pelo conceito, pois os investimentos financeiros no processo são altos. “Quando iniciamos com a fiação 100% reciclado, a eficiência de máquina e operações era baixa, com baixa produtividade (produto mais caro). Hoje temos a eficiência e produtividade alta e podemos trabalhar com preços competitivos”, explica José Israel. Ao questionar sobre as diferenças de preços entre um produto reciclável e um não reciclável, o gerente comercial da Ecosimple informa que se baseando pela mesma composição e gramatura há um equilíbrio de preços.
 
Curiosidades sobre a produção de tecidos

1- A produção de couro para roupas, bolsas e sapatos está entre as que mais poluem o meio ambiente. Isso porque, para amaciar o couro, são usadas toneladas e mais toneladas de sal, entre outros produtos. Esse sal é dissolvido em água, que vai parar no solo. Anos e anos de produção provocam o acúmulo de água salgada em regiões onde o sal não é parte do ecossistema.
 
2- Cerca de 8 mil tipos de produtos químicos são usados para transformar matéria-prima bruta em tecidos. Muitos desses produtos provocam danos irreversíveis na humanidade e no meio ambiente.
 
3- Mais de 11 milhões de toneladas de poliéster (isso mesmo, dá 11 bilhões de quilos) são fabricados por ano. O processo de produção deste tecido demanda um consumo de água muito pequeno, mas, por outro lado, exige uma grande quantidade de energia. As fibras do poliéster não são biodegradáveis, mas ele é reciclável.
 
4- O simples uso de uma camiseta básica pode despejar na atmosfera 4 kg de dióxido de carbono durante toda a útil da roupa. Isso acontece se ela for sempre lavada a uma temperatura de 60º C, for secada em secadora e passada a ferro. No Brasil, não temos o hábito de usar secadora, mas essa maquininha destruidora de roupas é hábito em vários países, inclusive os EUA.
 
5- Quase 100% dos tecidos existentes podem ser recicláveis, e a indústria que faz essa reciclagem é capaz de reaproveitar mais de 90% das roupas descartadas. Isso é feito sem gerar subprodutos nocivos ao meio ambiente.


Fonte: cassiasn.blogspot.com.br/2012/12/grandes-grifes-aderem-moda-sustentavel_12.html


Escrito por: Por Cássia Nascimento, em 27/08/2015


19/08/2015

EcoSimple comemora bons resultados no Salão Inspiramais


 
Empresa chama a atenção do setor calçadista, e já desenvolveu tecidos sustentáveis reconhecidos internacionalmente para projeto da Osklen.
 
A união do estilo com a sustentabilidade, apresentada pelas linhas de tecidos sustentáveis da EcoSimple, chamou a atenção das empresas calçadistas que visitaram a oitava edição do Inspiramais - Salão de Design e Inovação de Componentes. O evento foi realizado entre nos dias 10 e 11 de julho, no Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, em São Paulo/SP.
 
Líder nacional em seu segmento, a empresa está presente em diversos mercados, como moda, moveleiro e decoração, e despertou ainda mais o interesse da indústria calçadista. “Esse é um setor que se mostrou muito receptivo ao conceito que o nosso produto traz consigo, já que a produção de calçados tem buscado cada vez mais alternativas de componentes de origem sustentável. Aliado à qualidade do que produzimos, isso foi um grande diferencial no Inspiramais”, lembra o Diretor Comercial da EcoSimple, Cláudio Rocha.
 
O caráter inovador dos tecidos se destaca pelas matérias primas renováveis. A composição dos fios utiliza aparas de malhas e fibras de garrafas pet, e dispensa processos químicos para colorir os produtos. “Essa solução, que respeita o meio ambiente e garante uma produção mais responsável com o futuro do planeta, ainda gera produtos com grande variedade de cores e texturas”, diz a Diretora de Produção, Marisa Ferragutt.
 
Sarjas e lonas, entre outras linhas sustentáveis da EcoSimple, podem ser aplicadas em sapatos, tênis, bolsas e acessórios. Para se consolidar nesse mercado, a empresa tem buscado participar de feiras e eventos que recebam profissionais com poder de decisão na escolha dos componentes. “A participação no Inspiramais foi altamente positiva. Somente no primeiro dia, o estande recebeu mais de 150 visitantes, entre diretores de indústrias, designers e estilistas. A perspectiva é de que esse relacionamento abra novas oportunidades”, ressalta Rocha.
 
A empresa também já desenvolveu tecidos para um modelo de calçado da Osklen, grife reconhecida internacionalmente pelo uso de materiais sustentáveis. “A iniciativa realizou o rastreamento da pegada de carbono, análise do ciclo de vida e impactos socioambientais de seis produtos. A EcoSimple foi a fornecedora de pet reciclado e do algodão usado pela Osklen em um modelo de calçado”, explica Marisa.


Fonte: gramadosite.com.br/noticias/autor:GramadoSite/id:117586


Escrito por: , em 19/08/2015


10/08/2015

EcoSimple adere ao Programa Origem Sustentável


 
A sustentabilidade faz parte do DNA da EcoSimple. Está presente desde a formulação dos seus produtos até ao nome da empresa. A partir de agora, essa preocupação também estará certificada pelo Programa Origem Sustentável. A EcoSimple aderiu ao programa neste mês de julho, e já passa por auditorias que atestam seus processos sustentáveis.
 
A EcoSimple produz tecidos que carregam na sua composição o respeito ao meio ambiente. A composição dos fios utiliza garrafas pet e aparas de malhas, e dispensa processos químicos para colorir os produtos. “Mesmo assim, para participar do programa, estamos nos qualificando ainda mais. Contar com novos parâmetros de avaliação é sempre uma forma de nos aperfeiçoarmos e melhorarmos continuamente nossas práticas, processos e produtos sustentáveis”, enfatiza o Diretor Comercial Cláudio Rocha.
 
O programa foi idealizado pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e a Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couros, Calçados e Artefatos (Assintecal), em parceria com o Laboratório de Sustentabilidade (Lassu) da Universidade de São Paulo (USP) e do Massachusetts Institute of Technology (MIT). A certificação segue a escala Branco, Bronze, Prata, Ouro e Diamante.
 
Ao entrar no programa, a EcoSimple recebeu o selo Branco, primeiro nível de certificação. De acordo com a Diretora de Produção, Marisa Ferragutt, a empresa deve rapidamente passar para categorias mais avançadas. “Nosso processo produtivo como um todo já tinha essa preocupação sustentável, por isso acreditamos que logo passaremos para as outras categorias.”
 
A EcoSimple é associada da Assintecal, que lidera o projeto ao lado da Abicalçados. As duas entidades pretendem, com o programa, que empresas da Cadeia Produtiva da Moda tenham um maior engajamento em questões de sustentabilidade, o que resultará na ampliação das oportunidades no mercado de exportação para países que possuem regulamentação orientada à aquisição de produtos sustentáveis.


Fonte: pauliniaemfoco.com.br/paulinia/ecosimple-adere-ao-programa-origem-sustentavel


Escrito por: , em 10/08/2015


07/08/2015

EcoSimple: Tecnologia do bem que vai da roupa ao carro


 
Você consegue imaginar um ponto em comum entre futebol, moda, carro, decoração, tecnologia e sustentabilidade? Tecido! Mas não é qualquer tecido. A EcoSimple trouxe um conceito novo e sustentável utilizando sobras de tecidos descartados por confecções e garrafas PET como matéria-prima, sendo pioneira na fabricação de tecidos 100% recicláveis.
 
A marca acaba de lançar novas cores e estampas, que podem ser usadas nessas áreas. “No lançamento da pesquisa Inspiramais, em julho,  lançamos uma colação para calçadistas e moda. Agora estamos lançando para decoração, começamos na Abimad e vamos até a Design Weekend”, conta Marcelo Itacarambi, responsável pelo departamento comercial. Atualmente, a marca já trabalha com 19 “famílias”, entre listras, xadrezes, estampas de temas ecológicos, étnicos e a coleção assinada por Alexandre Herchcovitch. O contato mais recente foi feito pela estilista Stella McCartney, cuja trajetória tem sido marcada pela utilização de materiais sustentáveis.
 
 
As cores dos tecidos são obtidas a partir dos próprios retalhos reutilizados, sem uso de corantes, produtos químicos e água no processo fabril. Itacarambi explica que no processo de fabricação, a cada um metro de tecido produzido evita-se descartar no meio ambiente 480 gramas de resíduo têxtil e oito garrafas pet, além de economizar cerca de 5 mil litros de água.
 
 
O diferencial – e ponto forte – dos tecidos é a tecnologia sustentável, mas isso não os torna menos atraentes. Outra marca parceira é a Osklen que, com o mesmo foco em prol do ecossistema, se juntou a EcoSimple, ao Instituto e-brigade e ao Ministério do Meio Ambiente da Itália para, juntos, participarem do projeto Pegada Carbono. Segundo ele, foi mapeado o consumo de carbono nos produtos da empresa. “Capacitamo-nos a atuar no mercado com um material que possui baixíssimo índice de consumo de carbono”, explica.
 
 
Super versátil, o tecido ecológico já foi inserido até no setor automobilístico. “No ano passado, a Toyota cobriu o estofamento de um Corolla conceito com os tecidos EcoSimple e expôs no Salão do Automóvel de São Paulo. Ficou lindo”, comemora Itacarambi.
 
 
A manutenção é simples, lavagem rápida, perfeito para conquistar até o Maracanã. Em parceria com a Giroflex Forma e a Coca-Cola, a EcoSimple forneceu um tecido 100% produzido com garrafas PET para os 7.5 mil acentos da área vip do estádio, dentro das normas especificadas pela FIFA.
 
 
A versatilidade do tecido feito com garrafa pet e retalhos de tecidos de algodão também encontram aplicação perfeita na decoração, com cores distintas, espessuras e texturas ímpares. Vai em peças variadas, de tapetes a sofás. Criada em 2010, a marca na verdade é uma “cria” da Simple Têxtil Design, fundada por Claudio Rocha e Marisa Ferragutt 16 anos antes. Segundo a revista Isto É Dinheiro, está entre entre as as dez melhores colocadas no segmento “Tecnologia” num grupo de 50 Empresas do Bem.


Fonte: catmagazine.com.br/ecosimple-tecnologia-do-bem-que-vai-da-roupa-ao-carro/


Escrito por: Por Carol Carneiro, em 07/08/2015


03/08/2015

Sustentabilidade dos tecidos EcoSimple já marcou presença no Fashion Rio


 
A lona Cargo (igual às usadas em caminhões), especialmente desenvolvida pela EcoSimple para o estilista Alexandre Herchcovitch, esteve em destaque em uma das peças da marca Herchcovitch, marca do estilista que abriu o Fashion Rio, no dia 10 de janeiro de 2012. A coleção, inspirada no clima jovem e fresco dos artistas nova-iorquinos dos anos 80, apresentou uma bolsa na cor craft produzida com a lona Cargo. “Desenvolvemos a cor especialmente para o Alexandre e ficamos surpreendidos com o produto final.”, enfatiza o Diretor Claudio Rocha.
Alexandre Herchcovitch utilizou os tecidos da EcoSimple pela primeira vez em seu desfile masculino na 29ª edição do São Paulo Fashion Week (SPFW), em 2010. Além da peça exposta no desfile do Fashion Rio, a empresa também teve seus tecidos em looks na coleção inverno 2012 do estilista, no SPFW. O evento, que começou dia 19, marcou o lançamento da coleção de malhas sustentáveis da EcoSimple, já aprovadas pelo estilista e que estiveram em peças do desfile masculino.

Inovação e sustentabilidade
Os tecidos reciclados da EcoSimple são produzidos através de um processo inovador, que começa com a coleta de sobras e aparas de tecido descartadas pelas indústrias têxteis. Depois, o material passa por várias etapas de reciclagem, fiação e tecimento, agregando resíduos de pet também reciclados para compor os novos tecidos.
 
As tonalidades dos tecidos EcoSimple são obtidas através das cores originais dos resíduos reciclados, aproveitando a coloração natural das fibras em suas diversas nuances, sem uso de corantes, produtos químicos e água no processo fabril. A EcoSimple disponibiliza diversas opções de cores e padronagens, misturando lisos, listrados e até mesmo xadrezes para o segmento de decoração, calçados, acessórios e moda. “O grande diferencial da Ecosimple é sua autonomia. A empresa possui todas as etapas fabris e não terceiriza nenhum processo, podendo atender com maior agilidade os mais diferentes segmentos do mercado”, informa a diretora industrial Marisa Ferragutt.
 
Cada metro de tecido produzido elimina 480 gramas de resíduo têxtil e oito garrafas pet do meio ambiente. Desta forma, a EcoSimple promoveu a conscientização sobre a necessidade de se investir em materiais desenvolvidos em sintonia com a visão de sustentabilidade. A tecnologia desenvolvida já proporcionou importantes premiações à empresa, entre elas o Prêmio Planeta Casa 2010, Prêmio Idea Brasil 2011 e GreenBest 2011.


Fonte: https://www.gramadosite.com.br/estilo/autor:GramadoSite/id:32658


Escrito por: , em 03/08/2015

Primeira |< | 1 | 2 | 3 | 4 | 5 | > |Última 


Busca  

Redes Sociais

EcoSimpleBr
ecosimpletecidosustentavel


Tags

Alexandre Herchcovitch   Coleção New York   Consumo Consciente   Decoração   Eco Friendly   EcoSimple   Garrafa PET   Garrafas PET   Meio ambiente   Moda sustentável   Reciclado   Retalhos   Sustentabilidade   Sustentável   São Paulo Fashion Week   Tecido   Tecido Reciclável   Tecido reciclado   Tecido sustentável   Tecidos   Tecidos EcoSimple   Toyota   sustemtabilidade   tecidos EcoSimple   tecidos sustentáveis  
 

Arquivo


2016
outubro

2015
dezembro
novembro
outubro

Agosto
julho
junho
maio
abril
março